(19) 3814-3400 (Recepção)
(19) 3814-3400 (Recepção)

Agência Transfusional Hospital 22 de Outubro

Agência Transfusional


O objetivo principal é garantir o suprimento de sangue seguro aos receptores atendidos e manter os registros, com total rastreabilidade dos hemocomponentes.
Para garantir a qualidade, a agência transfusional possui um rigoroso controle interno dos reagentes e hemocomponentes, além de participar dos controles de qualidade externos: da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA - AEQ) e da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH).
Está permanentemente preocupada em desenvolver ações de capacitação dos profissionais envolvidos no processo transfusional e orientação médica quanto ao uso racional do sangue, para transfundir somente o componente que o paciente necessita.
Acompanhando a legislação, realiza de forma sistemática e contínua a revisão dos processos, monitorando e registrando aos órgãos competentes as reações adversas aos eventos transfusionais. Mantendo ativo um grupo multidisciplinar de discussão destes eventos e processos (comitê transfusional), afim de garantir a segurança transfusional.
 
ARMAZERNAMENTO


O armazenamento na Agência Transfusional tem uma atenção especial, visto que o sangue pode ficar estocado de 28 a 30 dias. O Hospital 22 de Outubro possui geladeiras específicas que tem as temperaturas verificadas a cada quatro horas, para que qualquer possível falha de funcionamento seja identificada rapidamente, assim como pratica processos diários de análise dos hemocomponentes e reagentes visando à segurança para o paciente que será transfundido.
Agência Transfusional do Hospital 22 de Outubro não realiza coleta de doadores de sangue. As doações continuam sendo realizadas no Banco de Sangue, o Hospital 22 de Outubro incentiva a doação e conscientiza os pacientes e seus familiares sobre a importância desta ação, pois é importante ressaltar que a partir de uma única doação, até quatro vidas podem ser salvas.
 
CONHEÇA ROTINA DA AGÊNCIA TRANSFUSIONAL


Recebimento da Solicitação de Transfusão: O médico solicita por meio de um formulário específico que contém informações pessoais e técnicas do paciente para assegurar que o procedimento seja feito de forma correta. 
O segundo passo é a coleta da amostra, que é utilizada para a realização dos testes pré-transfusionais. No tubo em que o sangue fica armazenado contém informações da amostra e do receptor que devem ser confirmadas antes da transfusão.


Testes pré-transfusionais: Após a coletagem da amostra, são realizados testes pré-transfusionais denominados em “Classificação ABO Direta e Reversa”, “Classificação RhD” e “Pesquisa de Anticorpo Irregular”.
Paralelamente, o doador também realizou testes de “Reclassificação ABO Direta” e “Reclassificação RhD”. Após os testes, é feita a prova cruzada, ou seja, a comparação do sangue do paciente com o sangue do doador para comprovar a compatibilidade.
Caso haja necessidade, como em caso de pacientes com problemas de medula, por exemplo, o médico pode solicitar outra gama de exames, chamados procedimentos especiais em hemocomponentes.


Liberação dos hemocomponentes para transfusão: Com todos os testes realizados, o material devidamente identificado com etiqueta, está pronto para ser liberado para a transfusão. Para garantir a segurança, a etiqueta contém os dados do receptor, dos hemocomponentes a ser transfundido, o resultado do teste e o responsável pela liberação.


Na região da Baixa Mogiana, a coleta de sangue é feita pelo Hemocentro da Unicamp. Para maiores informações, datas de coleta ou se quiser ser um doador de sangue, acesse o site do Hemocentro da Unicamp: https://www.hemocentro.unicamp.br/, ou entre em contato pelo telefone 0800-722-8432.