(19) 3814-3400 (Recepção)
(19) 3814-3400 (Recepção)

Jornais dão destaques à 1ª Cirurgia Cardíaca Extracorpórea da história de Mogi Mirim

A primeira cirurgia cardíaca extracorpórea foi notícia nos jornais da cidade recebendo grande destaque na mídia impressa. As reportagens deram ênfase ao procedimento inédito realizado em Mogi Mirim que fez o coração de uma senhora de 70 anos ficar com os batimentos suspensos por 55 minutos. Durante este tempo, a equipe médica e de enfermagem, liderada pelo cirurgião cardíaco André Franchini Fernandes, fez a troca da válvula mitral do lado esquerdo. Ao todo, a cirurgia cardíaca durou cerca de 1h15m. 


Para que os batimentos do coração pudessem ser suspensos a equipe médica, após a abertura do peito da paciente, aplicou uma solução gelada na cavidade torácica, diminuindo a frequência cardíaca até sua parada total. Nesse momento, após uma ligação com a aorta, entra em ação a circulação extracorpórea através de uma máquina que recircula o sangue oxigenando-o antes de reintroduzi-lo de volta ao corpo.  


O orgulho e a realização deste sonho são os principais sentimentos de toda a equipe médica que participou desta primeira cirurgia cardíaca extracorpórea, em Mogi Mirim:


  • Cirurgião Cardíaco André Francini Fernandes 

  • Cardiologista Clínico Carlos Camargo 

  • Anestesista Fábio Fabiano Gomes 

  • Intensivistas Sérgio Urbini Júnior e Victor Isper

  • Cirurgião Assistente Élcio Pires Júnior

  • 3º cirurgião, Dalton Vinícius Liedke


Também fizeram parte da equipe um perfusionista, dois circulantes e uma instrumentadora. 

A primeira cirurgia cardíaca extracorpórea, em Mogi Mirim, foi o início de muitos outros projetos que estão por vir no Hospital 22 de Outubro. Entre eles, a possibilidade de realizar cirurgias cardíacas também em crianças tão logo a UTI Neonatal e a UTI Infantil estejam concluídas. 


Para o diretor-presidente do Hospital 22 de Outubro, Raji Rezek Ajub, ter um bom hospital vai muito além de ter equipamentos de última geração. Para ter um bom hospital completo é é imprescindível que se tenha também médicos altamente motivados e capacitados. “E estes médicos nós temos, aqui, no 22 de Outubro”, concluiu Raji. 


Acompanhe abaixo as reportagens publicadas nos jornais de Mogi Mirim: 

“A Comarca” e “O Popular”.